Sobre

 

O LEIR-MA/USP é um grupo de pesquisa de História Antiga, Arqueologia e Letras Clássicas sediado no departamento de História da Universidade de São Paulo, composto por 24 pesquisadores - da iniciação científica ao pós-doutorado - cujos interesses vão da Idade do Bronze à Antiguidade Tardia,  da cerâmica à poesia épica, do urbanismo às rebeliões camponesas, mas cujo denominador comum é a consideração do mar Mediterrâneo como questão teórica e metodológica.

 

Suas origens estão em 2008, quando foi criado o Laboratório de Estudos sobre o Império Romano da USP, sob a coordenação do Prof. Dr. Norberto Luiz Guarinello. O LEIR-USP passou a integrar o conjunto dos laboratórios do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo; além disso, fazia parte do LEIR-nacional, também coordenado pelo prof. Norberto Guarinello, e que articulava, de início, seis universidades públicas brasileiras (hoje conta com nove universidades). A partir de um primeiro encontro também realizado em 2008, o grupo do LEIR-USP ganhou corpo e passou a realizar reuniões semanais em uma das salas de pós-graduação do prédio da História e Geografia da USP. Ao longo de 2009, o laboratório ganhou um espaço próprio e as leituras se concentraram no tema das identidades no mundo antigo, o que resultou a organização do II Encontro Local, intitulado "Da (in)utilidade do conceito de identidade para a História Antiga"; neste meio tempo, o grupo foi contemplado com uma sala própria, na área dos Laboratórios do prédio da História e Geografia.

 

Em 2010 as leituras passaram a se concentrar no tema da integração no Mediterrâneo Antigo, e, em virtude tanto do tema quanto da presença de pesquisadores de outras áreas além do Império Romano, o Laboratório passou a se chamar Laboratório de Estudos sobre o Império Romano e Mediterrâneo Antigo da USP (LEIR-MA/USP). Um primeiro encontro organizado acerca do tema, nosso III Encontro local, foi intitulado Como assim, Mediterrâneo?. Ainda em 2010, foi lançado o primeiro número da Revista Mare Nostrum - Estudos sobre o Mediterrâneo Antigo, de periodicidade anual, e que está hoje em seu quarto volume.

 

Em 2011, ao tema da integração foi incorporada a discussão sobre as fronteiras, tanto externas e internas, geográficas e sociais, e o modo como eles alteravam e eram alteradas pelos processos de integração. O resultado das reuniões foi apresentado no encontro Processos de integração no Mediterrâneo Antigo: aceleração e crise.

 

Entre 2012 e 2013, o grupo iniciou um percurso de leituras por fontes textuais, tais como Ovídio e Apolodoro. O encontro anual foi substituído por um ciclo de palestras, realizado ao menos uma vez por mês, tanto com pesquisadores convidados quanto pelos membros do laboratório. Este ciclo de palestras foi rebatizado, a partir de agosto de 2012, como Seminário de Pesquisa Mare Nostrum. Ao longo de 2013, o laboratório também ofereceu duas edições do curso de extensão História e Arqueologia de Atenas: dos princípios ao Império Romano, junto ao Serviço de Cultura e Extensão da FFLCH/USP, além das reuniões semanais de estudo do grego antigo.

 

Em 2014, o laboratório dará prosseguimento ao Seminário de Pesquisa Mare Nostrum, com palestras mensais ou quinzenais, e às reuniões de discussão de textos semanais, às segundas ou terças-feiras, a partir das 14h. Além disso, ao grego antigo será incorporado o estudo do latim, em reuniões realizadas às terças-feiras pela manhã. Outra novidade será a realização de minicursos de introdução à análise de fontes antigas, ministrados por especialistas nestas fontes. E ao final do ano será realizado novamente um encontro local, cujo título e tema serão discutidos nas reuniões semanais ao longo do ano.